se eu quiser falar com deus

[texto de 23/jun/2021 perdido nos rascunhos]

acho que é impossível esquecer como se ora. Na verdade, acredito que é impossível não saber como se ora. É gesto, é palavra, pensamento, olhar. Nos últimos anos, eu percebo motivos para desejar estar em lugares melhores. Talvez a oração nos leve para este lugar um pouco mais ameno. Acho que isso tem a ver com ser adulto. Dar-se conta da realidade. Reaprendendo aos poucos a orar sem nunca ter desaprendido. No escuro. Meio dormindo, meio acordada.

Proteção. Prece. Um doente ali, outra que foi arrancada violentamente da vida acolá. Orar quando tudo vai bem e quando vai mal. Orar é estar em silêncio, olhar atento e coração pulsante. Desejo. Respira. Viver esperando notícias ruins não deveria ter se tornado rotina. Difícil colocar em palavras sentimentos inomináveis, mas arranco eles de mim como forma de alívio. Respiro. Escrever é oração. A lágrima que corre. A árvore quase sem nenhuma folhagem porque o outono passou, chegou o inverno.

Brigo com as nuvens por tamparem o sol, mas questiono o sol por se enfiar atrás das nuvens. No fim, me agasalho e só aceito o cinza, o gélido. Viver um dia de cada vez. O que mais eu ouço, o que eu mais me digo. Oro. Rezo. Fecho os olhos. Respiro. As leis da física não explicam como é possível sentir o coração na mão. É nessa hora que talvez a gente ore. Com fé em tudo, sem fé em nada. Somente com muita dúvida. Afinal, isso é fé, não? A dúvida.

O céu, os astros, a natureza me dão a dimensão de que absolutamente tudo é menor, importa menos. Isso me conforta.

Paula e Bebeto, acho que orar é uma das formas mais legítimas de amar. Pensei na potencialidade da música de transcender a mais pesada consciência, o mais triste coração, o mais cinza dia. Qualquer maneira de orar vale a pena, qualquer maneira de amar valerá.

Talvez o significado do universo seja realmente o mistério. Esperar pelo imprevisível, estar confortável na dúvida e na meditação do incontrolável.

Conhecendo e se entregando à Paula ou Bebeto que, porventura, chegar. Orar por um lugar melhor para eles, para nós.

Êh, vida, vida, que amor brincadeira, à vera
Eles se amaram de qualquer maneira, à vera
Qualquer maneira de amor vale à pena
Qualquer maneira de amor vale amar

Pena, que pena, que coisa bonita, diga
Qual a palavra que nunca foi dita, diga
Qualquer maneira de amor vale aquela
Qualquer maneira de amor vale amar

No fim das contas, orar é compreender que possivelmente quase nada na vida faz sentido, muita coisa tem sentido, pouca coisa faz. Tipo esse texto, mais um que escrevo, não faz sentido nenhum.

repouso

despretensiosamente escrevendo e lendo sobre tudo que me interessa e geralmente qualquer coisa me interessa, principalmente tudo. adyelbeatriz.contently.com

despretensiosamente escrevendo e lendo sobre tudo que me interessa e geralmente qualquer coisa me interessa, principalmente tudo. adyelbeatriz.contently.com