Expresso, curta-metragem

Sinopse

Rio de Janeiro, 2017. Luísa é uma jovem estudante de cinema e reflete o tempo moderno em que vive. Na busca por afeto, esbarra com a efemeridade e a liquidez das relações amorosas mediadas pela tecnologia. A partir dessas experiências, ela começa a se questionar se ainda existe amor off-line.

A escolha do movimento artístico Nouvelle Vague ocorre ser uma estética de cinema inovadora, criativa e que quebra os padrões de cinema impostos pela indústria cinematográfica tradicional, fato que chamou a atenção do grupo. Esse movimento nos instigou, pois dá a liberdade necessária para filmar em planos variados e surpreendentes, além de nos possibilitar gravações externas. Os filmes inspirados neste movimento são produzidos por amantes de cinema, o que fica explicito no próprio filme. Desse modo, buscamos por produzir algumas cenas destacando o próprio cinema e o gosto pelo mesmo. A construção de um drama psicológico através da fixação da câmera pela protagonista, Luísa, a temática tratada no curta, que trouxe assuntos da modernidade de forma subjetiva e reflexiva são fatores também inspirados pela proposta Nouvelle Vague.

A nova estética de cinema Nouvelle Vague surge como uma reação contrária às superproduções hollywoodianas da época, que eram encomendadas pelos grandes estúdios. Os filmes desse novo movimento são produzidos de maneira mais pessoal e barata – o chamado “cinema de autor”. Seus principais representantes eram jovens críticos, reunidos ou inspirados pela revista Cahiers du cinéma (“cadernos de cinema”), criada pelo teórico André Bazin e considerada a bíblia da crítica à sétima arte (História do Cinema Mundial, Nouvelle Vague, p. 222).

As características principais do movimento que mais cativaram o grupo ocorreram, principalmente, por suas técnicas inovadoras de movimentação de câmera e de montagem: a fixação pelo protagonista e a exaltação do preciosismo das expressões, dando valor, portanto, ao close e a planos detalhes. A liberdade estética é uma característica que o grupo se inspirou muito: cortes repentinos e a câmera em qualquer ângulo ou posição, trazendo uma percepção mais pessoal para o espectador. Os temas cotidianos e tabus foram importantes para a construção do roteiro: personagens à margem da sociedade, como criminosos, adúlteros e rebeldes.

A construção do roteiro é feita a partir da construção de um personagem principal reflexivo. Dessa forma, retóricas e conceitos contemporâneos são introduzidos na narrativa, exaltando o alter-ego subjetivo da personagem e as questões pessoais. Com isso, o grupo viu a facilidade de abordar um tema moderno: as relações efêmeras e vazias que os aplicativos de relacionamento, na maioria das vezes, proporcionam. O curta Expresso focou, principalmente, nas questões da modernidade líquida, aspecto forte da sociedade contemporânea.

Diversos aspectos da contemporaneidade se diferenciam do modo no qual os primeiros filmes inspirados na Nouvelle Vague eram produzidos. Com o tema central em torno do uso da tecnologia, em aplicativos de relacionamentos, Expresso aborda essa nova realidade da juventude, que é o auxilio da internet para possíveis romances e destacando as relações vazias e líquidas. Além da narrativa, outra mudança que a revolução tecnológica proporcionou para a indústria cinematográfica variados mecanismos de iluminação, filmagem e edição, isto é, a fotografia de filmes inspirados pelo movimento se diferencia das produções iniciais.

despretensiosamente escrevendo e lendo sobre tudo que me interessa e geralmente qualquer coisa me interessa, principalmente tudo. adyelbeatriz.contently.com

despretensiosamente escrevendo e lendo sobre tudo que me interessa e geralmente qualquer coisa me interessa, principalmente tudo. adyelbeatriz.contently.com